O demonstrador AlbatrossONE, da Airbus, alcançou com sucesso um novo marco: uma demonstração completa com pontas de asas 75% mais longas do que as testadas na primeira fase.

 

Além disso, a Airbus descobriu que deixar as pontas soltas podem aliviar a carga das asas, tornando-as mais leves pela estrutura mais simplificada, e evita o estol nas pontas, melhorando o desempenho geral do voo.

 

A Airbus se inspirou na natureza para desenvolver o seu conceito de “dobradiça semi-aeroelástica”, para reduzir o arrasto e o peso total das asas, ao mesmo tempo em que combate os efeitos da turbulência e das rajadas de vento.

As várias etapas de testes mostraram diferentes configurações e “faces” deste conceito até o momento, com evoluções práticas sobre um voo mais eficiente. Veja os engenheiros trabalhando com diversos testes no vídeo abaixo.

Graças à sua incrível capacidade de viajar por longas distâncias com pouca energia e fadiga, a ave marinha albatroz tem muito a ensinar aos engenheiros aeronáuticos sobre como melhorar o desempenho da aeronave.

E a equipe de projeto do Airbus AlbatrossONE está demonstrando grande interesse por essa majestosa ave marinha, colocando em teste os princípios do movimento livre das pontas das asas – capaz de reagir e flexionar a rajadas de vento.

Fonte: Aeroflap 08/10/2020

  : aviacao-comercial