O aeroporto de Salvador, o Salvador Bahia Airport, recebeu o nível 2 da certificação Airport Carbon Accreditation (ACA), concedida pela organização Airport Council International (ACI). A honraria tem significado de destaque internacional pelo compromisso ambiental por reconhecer a implementação de ações e projetos voltados para a redução das emissões de carbono.

De acordo com a Vinci Airports, concessionária do aeroporto, a certificação é resultado de medidas que incluem desde melhorias do sistema de climatização e instalação de dispositivos inteligentes como sensores de presença nas escadas, elevadores e banheiros até substituição de lâmpadas convencionais por LED. Essa substituição teria sido responsável pela redução de 134 toneladas de gás carbônico emitido.

Atualmente, o aeroporto está instalando uma usina solar. Segundo a concessionária, isso fará com que o terminal seja o primeiro do país a contar com um equipamento do tipo. A planta prevê 11 mil painéis solares, representando 4.215 KWp de potência instalada para uma produção anual de 6.300.000 KWh. Ao todo, serão investidos R$ 16 milhões. A previsão é de que o equipamento entre em operação na segunda quinzena de fevereiro.

Por mês, a usina terá capacidade para produzir 550.000 KWh de energia. Isso representa 32% do consumo atual do terminal, sendo praticamente o necessário para abastecer 3.800 casas populares. Uma vez em pleno funcionamento, a usina vai diminuir ainda em 30% a pegada de carbono do aeroporto, ou seja, 690 toneladas ao ano.

Sustentabilidade

Em 2019, o aeroporto já tinha recebido outros títulos na área de sustentabilidade. Em janeiro do ano passado, já tinha sido o primeiro das regiões Norte/Nordeste e o segundo do Brasil a obter a certificação ACA em nível 1. Esse certificado é o que que reconhece os esforços de mapeamento e identificação de todas as emissões diretas e indiretas de gases do efeito estufa pelo aeroporto.

Já em outubro, foi reconhecido como “aeroporto verde” durante conferência anual do Conselho Internacional de Aeroportos da América Latina e Caribe (ACI-LAC), que premiou a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), implantada em 2018, o trabalho de eficiência energética e o gerenciamento do risco da fauna desenvolvidos no Salvador Bahia Airport.

As ações de sustentabilidade fazem parte da política ambiental da Vinci Airports, a chamada AIRPact, que estabelece metas globais para o ano de 2030. Alguns dos objetivos são reduzir pela metade a pegada de carbono através da obtenção da certificação ACA por todos os aeroportos do grupo no mundo, reduzir pela metade o consumo de água, implementar a economia circular pautada na redução da produção de lixo, separação dos resíduos gerados e posterior reciclagem.

Fonte: Correio 24h 06/01/2020

  : brasil